Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

'Ministro do Petróleo' do Daesh declarado morto por forças iraquianas

Na segunda-feira (5), as forças especiais iraquianas mataram o “ministro do Petróleo”, do grupo terrorista Daesh na província de Nínive. Isto aconteceu durante a operação de reconquista da cidade ocupada de Mossul, comunicou a assessoria de imprensa do Serviço Antiterrorista do Iraque.


Sputnik


De acordo com a assessoria de imprensa, o nome do "ministro" morto da organização jihadista era Asghad Abu Azzam. 


Forças iraquianas passam no deserto no âmbito de operação de libertação de Mossul, Iraque, 20 de outubro de 2016
Tropas iraquianas © AFP 2016/ AHMAD AL-RUBAYE

Mossul, a segunda maior cidade do Iraque, bem como uma série de outras cidades ocidentais e povoações iraquianas, foi ocupada em 2014 em resultado da vasta ofensiva do grupo terrorista Daesh, que tinha obtido recursos do comércio ilegal do petróleo produzido nos territórios invadidos.

As forças iraquianas apoiadas pela coalizão contra o Daesh, com os EUA à cabeça, lançaram em 17 de outubro uma operação para reconquistar Mossul de outros grupos extremistas que são fora da lei na Rússia, EUA e em muitos outros países.



Postar um comentário