Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No decorrer da operação Ramo de Oliveira será criada zona de segurança na Síria

O primeiro-ministro turco Binali Yildirim anunciou a criação, durante a operação militar turca na província síria de Afrin, de uma faixa de segurança de 30 quilômetros.
Sputnik

O premiê, citado pela emissora Haberturk, adiantou também que a operação seria efetuada em quatro etapas.


"A operação vai decorrer em 4 etapas com o objetivo de criar uma faixa de segurança de 30 quilômetros, que será limpa de terroristas", disse o político, citado pela emissora NTV.

Yildirim adiantou que até agora não há mortos ou feridos entre o contingente turco que realiza a operação.

Mais cedo, o Estado-Maior da Turquia anunciou o início da operação "Ramo de Oliveira" contra os grupos curdos na província síria de Afrin, que começou precisamente às 14h00 locais (12h00 no horário de Brasília). De acordo com a entidade militar, a operação conta com a participação de 72 aviões, enquanto 108 dos 113 alvos planejados já foram eliminados. Há poucos dias, o premiê turco, Binali Yildirim, havia avanç…

Objetivo maior da Rússia na Síria é cessar-fogo abrangente e retomada do diálogo de paz

A Rússia está distribuindo a maior parte da sua ajuda humanitária na Síria entre a população de Aleppo e, neste momento, tem como principal objetivo a adoção de uma trégua total e a retomada das conversas de paz no país árabe, segundo afirmou o embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin.


Sputnik


Em discurso no Conselho de Segurança das Nações Unidas, o representante permanente da Rússia destacou que Moscou continua enviando alimentos, remédios e outros itens básicos de sobrevivência em larga escala para diversas partes da Síria. Mas, recentemente, Aleppo tem recebido mais atenção por conta dos problemas humanitários em maiores proporções na região. 


Evacuação de Aleppo, Síria © REUTERS/ Omar Sanadiki

Mais cedo, o chefe da direção operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, tenente-general Sergei Rudskoy, se queixou da falta de participação de outros países na prestação de assistência aos civis de Aleppo, lembrando que, até agora, apenas Moscou e Damasco têm fornecido ajuda humanitária para essa população.



Postar um comentário