Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

ONU aprova envio de observadores a Aleppo

Conselho de Segurança adota resolução para garantir retirada "voluntária, segura e digna" de civis do último bastião rebelde no leste da cidade. Após impasse durante o fim de semana, processo de evacuação é retomado.


Deutsch Welle


O Conselho de Segurança da ONU aprovou nesta segunda-feira (19/12), por unanimidade, uma resolução para permitir o envio de observadores para monitorar a retirada de civis e combatentes da oposição do leste de Aleppo.


Sírios retirados do enclave no leste de Aleppo chegam a área dominada pelos grupos de oposição
Sírios retirados do enclave no leste de Aleppo chegam a área dominada pelos grupos de oposição

A resolução, que resulta de um entendimento entre Rússia, Estados Unidos e França, é a primeira demonstração de unidade das potências mundiais em relação à crise na Síria nos últimos meses. A Rússia havia ameaçado vetar o texto original, proposto pela França. Foram necessárias horas de negociações para se chegar ao consenso entre os 15 países-membros do Conselho.

Segundo o documento adotado nesta segunda-feira, a equipe humanitária da ONU que já se encontra no país se encarregará de vigiar o processo de evacuação do leste de Aleppo. A resolução determina a importância de "garantir a passagem voluntária, segura e digna de todos os civis dos distritos orientais de Aleppo ou outras zonas ao destino que escolherem, sob a supervisão e a coordenação das Nações Unidas e outras instituições pertinentes".

O embaixador francês na ONU, François Delattre, garantiu que a resolução dá base "para evitar novas atrocidades maciças no leste de Aleppo". Segundo Delattre, a ONU está preparada para começar a aplicar a resolução sem atraso.

Retirada de civis


A retomada de Aleppo pelas forças do governo sírio – a maior vitória do regime de Bashar al Assad em quase seus anos de guerra civil – deixou milhares de pessoas sitiadas no último bastião rebelde no leste da cidade. Nesta segunda-feira, milhares de pessoas foram retiradas da área, após um novo acordo que permitiu a evacuação dos habitantes de dois vilarejos pró-governo sitiados pelos insurgentes na província de Idlib.

Comboios de ônibus provenientes do leste de Aleppo chegaram a territórios controlados pelos grupos de oposição a oeste da cidade, segundo informou a organização Observatório Sírio dos Direitos Humanos. Ao mesmo tempo, dez ônibus deixaram os vilarejos xiitas de Al-Foua e Kefraya, com destino às linhas de frente do regime de Damasco.

Segundo o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, 5 mil pessoas deixaram Aleppo nesta segunda-feira em 75 ônibus, após outras 350 serem retiradas durante a noite. Dos dois vilarejos em Idlib, cerca de 500 pessoas haviam sido retiradas, segundo informou o Observatório.

A evacuação dos dois vilarejos foi uma exigência do eExército sírio e seus aliados antes de permitir que os combatentes e civis do enclave rebelde em Aleppo deixassem o local. O impasse havia paralisado a retirada do leste da cidade durante o fim de semana.

O ministro turco do Exterior, Mevlut Cavusoglu, afirmou que até o momento 20 mil civis foram retirados do leste de Aleppo. Segundo a ONU, 50 crianças de um orfanato foram resgatadas no leste da cidade, algumas delas com ferimentos graves.

"Retiradas complexas do leste de Aleppo e de Foua e Kefraya estão agora a todo vapor. Mais de 900 ônibus foram necessários para as evacuações. Não podemos fracassar", afirmou Jan Egeland, que preside a força-tarefa humanitária da ONU na Síria.


Postar um comentário