Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Putin condecora russos que foram mortos em Aleppo

O presidente russo, Vladimir Putin, além de condecorar os militares que morreram na Síria, prestou prontidão no auxílio às famílias das vítimas. 


Sputnik

"Correndo risco de morte, os militares russos estão fazendo todo o possível para ajudar o exército sírio na luta contra o terrorismo e para salvar a vida de civis. Vocês sabem que, no dia 5 de dezembro, nos seus postos, foram assassinadas as médicas do hospital militar — as sargentos Nadezhda Vladimirovna Durachenko e Galina Viktorovna Mikhaylova. Ontem, na Síria, após sofrer graves ferimentos nos bombardeios dos terroristas, morreu o coronel Ruslan Viktorovich Galitsky. Honremos a memória deles com um minuto de silêncio", disse Putin durante uma reunião com oficiais superiores e procuradores.


O presidente russo, Vladimir Putin apresentou condecorações para os militares que participaram nas operações anti-terroristas na Síria
Presidente da Rússia Vladimir Putin © Sputnik/ Sergei Guneev

Após o minuto de silêncio, o supremo comandante ordenou a condecoração e prestação de assistência necessária às famílias das vítimas pelo Ministério da Defesa.

"Eu peço ao Ministério da Defesa que condecore os nossos companheiros e companheiras e que preste toda a assistência aos parentes nesses tempos difíceis", disse Putin.

Anteriormente, o porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov, informou que militantes atacaram o hospital móvel russo instalado em Aleppo. Duas militares-médicas russas foram mortas. Além disso, o ataque atingiu residentes locais que aguardavam atendimento médico. Algumas horas depois, soube-se que, durante o bombardeio, um conselheiro militar russo ficou também gravemente ferido. Mais tarde, ele morreu.


Postar um comentário