Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Regime sírio recupera cinco novos bairros rebeldes de Aleppo

Desde o início da ofensiva do exército e das milícias aliadas, em 15 de novembro, o regime expulsou rebeldes de muitos bairros de Aleppo Oriental através de bombardeios.


France Presse


Cinco novos bairros rebeldes da cidade síria de Aleppo, em especial o distrito chave de Chaar, foram recuperados nesta terça-feira (6) pelas tropas do regime, que controlam agora mais de 70% deste reduto insurgente, informa o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH). 


Resultado de imagem para aleppo
Fumaça é vista no horizonte de Aleppo na manhã desta terça-feira (6) (Foto: REUTERS/Omar Sanadiki)


Chaar, Dahret Awwad, Jouret Awwad, Karml al-Jabal e Karm al-Beik, que estão na parte central de Aleppo Oriental, "foram tomados pelo regime, que está cercando cada vez mais os rebeldes", indicou à agência France Presse Rami Abdel Rahmane, diretor do OSDH.

A agência oficial síria Sana também informou sobre a tomada de Chaar, o maior dos bairros, assim como outros setores.

Desde o início da ofensiva do exército e das milícias aliadas, no dia 15 de novembro, para reconquistar Aleppo Oriental, setor que não controla desde 2012, o regime expulsou os rebeldes de muitos bairros através de bombardeios.

Os insurgentes, superados pela potência aérea do regime, estão agora no setor meridional de Aleppo Oriental, com milhares de famílias encurraladas ali.

Mais de 50.000 civis fugiram de Aleppo Oriental em direção a zonas governamentais desde o início desta ofensiva, que já deixou centenas de mortos.



Postar um comentário