Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

Rússia fará tudo para evitar retorno de terroristas a Palmira

Segundo comunicou o Ministério das Relações Exteriores russo, Moscou fará tudo ao seu alcance para que os terroristas não retornem à cidade síria de Palmira. 


Sputnik

A respectiva informação foi prestada pelo primeiro vice-ministro russo das Relações Exteriores Vladimir Titov durante uma conversa com jornalistas nesta segunda-feira (12). 


Militares na parte histórica de Palmira liberada dos terorristas do Daesh, Síria, maio de 2016
Militares sírios em Palmira © Sputnik/ Maksim Blinov


"Acreditamos que a libertação de Palmira foi um resultado muito importante das nossas ações conjuntas. Naturalmente, nós vamos fazer tudo o que nos é possível para não permitir o retorno dos terroristas a estas regiões", declarou Titov.

No domingo (11) o grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia) alegadamente reentrou na cidade antiga, não obstante o Ministério da Defesa russo declarar que os combates têm lugar nos arredores da cidade. Segundo os dados divulgados pelo Centro para Reconciliação russo na Síria, mais de 4.000 jihadistas se reagruparam e realizaram uma tentativa de reconquistar Palmira.

Palmira foi libertada do poder dos jihadistas em março do ano corrente, após quase um ano de domínio terrorista, durante o qual foram destruídos inúmeros monumentos históricos.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas