Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Sem acordo, 'Idlib será a próxima Aleppo', alerta enviado da ONU para a Síria

A cidade síria de Idlib, onde se refugiaram os rebeldes e suas famílias evacuadas de Aleppo durante o avanço do exército sírio, corre o risco de se tornar "a próxima Aleppo", disse nesta quinta-feira (15) o enviado da ONU para a Síria, Staffan de Mistura. 


Sputnik

"Se não houver um acordo político e de cessar-fogo, Idlib se tornará a próxima Aleppo", disse Mistura, em entrevista coletiva em Paris.


Soldados da artilharia do exército sírio na província de Idlib, no noroeste da Síria (foto de arquivo)
Idlib, Síria © Sputnik/ Ilya Pitalev

O enviado da ONU também julgou ser uma prioridade da organização internacional enviar funcionários para supervisionar a evacuação de Aleppo.

De acordo com o Centro para a Reconciliação na Síria russo, um segundo comboio de ônibus e automóveis saiu do leste de Aleppo nesta quinta-feira, levando rebeldes que depuseram as armas, bem como suas famílias, “por uma rota especial do distrito de Salah al-Din no bairro de Rashidin-4, onde eles serão transferidos para outros veículos para seguir para Idlib". 


Ao longo dos últimos meses, Aleppo tornou-se um grande campo de batalha na Síria entre as forças governamentais e os militantes rebeldes. Na última terça-feira (13), foi anunciado que o exército sírio já estava na posse de controle sobre 98% do território da cidade.


Postar um comentário