Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Israel prende o governador palestino de Jerusalém

Motivo da detenção foram crimes cometidos na Cisjordânia ocupada, segundo a Organização para a Libertação da Palestina.
France Presse

Israel prendeu o governador palestino de Jerusalém por crimes que teria cometido na Cisjordânia ocupada, que não foram especificados, informou a Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

O governador Adnan Gheith foi detido no sábado (20) à noite no bairro palestino de Beit Hanina, em Jerusalém Oriental, ocupada e anexada por Israel. Será apresentado a um tribunal dentro de quatro dias, afirma a OLP em um comunicado.

Para o dirigente da OLP Saeb Erakat, a detenção é "um novo passo contra a presença palestina em Jerusalém" e constitui uma violação da legislação israelense a respeito das instituições palestinas da cidade.

"As ameaças contra dirigentes palestinos, sua detenção, inclusive o 'sequestro' do governador Gheith, são parte de um plano que pretende sufocar todas as bases de uma solução política com dois Estados e com as f…

'Continuaremos apoiando Ucrânia': Londres joga indiretas para Trump

Como destaca a edição Telegraph, o ministro chegou a Kiev para apoiar os ucranianos devido à tomada de posse do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, conhecido por ser cordial em relação à Rússia.


Sputnik

Ao comentar as inquietações ligadas à possibilidade de os EUA reduzirem o apoio à Ucrânia, Fallon sublinhou que os valores do Reio Unido, tais como democracia e liberdade, não estão à venda. Como escreve a Telegraph, esta frase é principalmente destinada à administração de Trump. 


Londres, Reino Unido
Londres, Inglaterra © Foto: Pixabay

"O Reino Unido intensifica influência no palco internacional e tem intenção de apoiar seus amigos ucranianos. Londres envia sinal claro sobre a fidelidade à proteção da democracia de todo mundo e do apoio da soberania, independência e integridade da Ucrânia", declarou Fallon citado pela Telegraph.

Ele também prometeu que os instrutores militares britânicos ampliarão o programa de treinamentos da Marinha ucraniana e da Força Armada. Como lembra a edição, militares do Reino Unido já treinaram cerca de 5 mil soldados ucranianos.

Foi também destacado que, em breve, pela primeira vez em dez anos, o navio militar da Marinha britânica visitará a Ucrânia. Em particular, ao porto de Odessa, no terceiro trimestre de 2017, entrará torpedeiro da classe 45, que depois será enviado à Bulgária e Romênia no âmbito de atividades da OTAN.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas