Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Coreia do Norte desloca 2 mísseis balísticos para perto de Pyongyang

A Coreia do Norte deslocou dois mísseis balísticos novos para o norte da sua capital, Pyongyang, informou canal de televisão japonês NHK, citando uma fonte militar sul-coreana.


Sputnik

Segundo dados da fonte, citados pelo NHK, esses mísseis podem ser equipados com motores modernizados e estão prontos para lançamento em qualquer momento. 


Míssil balístico da Coreia do Norte
Míssil balístico da Coréia do Norte © REUTERS/ KCNA

Mais cedo, satélites americanos e sul-coreanos registraram dois lançadores de foguetes móveis. Foi avançado que Pyongyang poderia realizar um novo lançamento de teste fazendo-o coincidir com a tomada de posse do presidente dos EUA, Donald Trump.

Entretanto, já no 1° de janeiro, na mensagem de Ano Novo à nação, o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un declarou abertamente que seu país atingiu a fase final de desenvolvimento de mísseis balísticos intercontinentais.

Conforme dados da agência sul-coreana Yonhap, Pyongyang está construindo mísseis KN-08 com alcance de 13.000 quilômetros, baseados em lançadores de foguetes. Apontando para a ameaça estadunidense, a Coreia do Norte recusa parar as elaborações nucleares e de mísseis, apesar das sanções por parte do Conselho da Segurança da ONU.


Postar um comentário