Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Coreia do Sul paga 450 milhões de dólares aos EUA por novos caças F-35

A corporação americana Lockheed Martin assinou um contrato no valor de 450 milhões de dólares (cerca de 1,5 bilhões de reais) para a produção de caças-bombardeiros de 5ª geração F-35 para a Coreia do Sul, diz um comunicado do Ministério da Defesa dos EUA. 


Sputnik

"A Corporação Lockheed Martin e (a sua filial) Lockheed Martin Aeronautics receberam 450.042.458 dólares para a produção de um lote de F-35A para a República da Coreia no âmbito do programa de vendas militares internacionais", diz o comunicado. 

Caça americano F-35 cumprindo missão
Lockheed Martin F-35 Lightining © flickr.com/ Forsvarsdepartementet

O Pentágono assinalou que a produção dos aviões terá lugar na fábrica no estado do Texas, estando a conclusão de fabricação prevista para agosto de 2019.

O número de aviões a fornecer à Coreia do Sul não é especificado. Não há muito tempo, a Lockheed Martin havia informado que representantes dos EUA e da Coreia do Sul negociaram a venda de 40 aviões F-35A, com início do fornecimento planejado para 2018.

Em agosto, os caças F-35 de modificação A (versão simples, produzida para exportação) foram considerados aptos para utilização em condições de combate real por especialistas da Força Aérea, depois de repetidos atrasos devidos a remoção de falhas identificadas. 

Em dezembro, Israel tornou-se o primeiro país a dispor de aviões de quinta geração no Oriente Médio. O país recebeu até agora dois dos 50 F-35 encomendados aos EUA. O preço da aeronave é cerca de 100 milhões de dólares cada unidade. 

Anteriormente, o presidente eleito Donald Trump criticou o preço excessivamente alto dos caças furtivos multifuncionais F-35. O programa F-35, que está sendo realizado pela corporação Lockheed Martin, custou aos contribuintes norte-americanos cerca de 400 bilhões de dólares.

Postar um comentário