Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

EUA deslocarão 24 helicópteros de combate para a Coreia do Sul

Até fevereiro deste ano os EUA planejam implantar na Coreia do Sul 24 helicópteros de combate AH-64 Apache para resistir a possíveis provocações por parte de Pyongyang. 


Sputnik

"Parte do batalhão de helicópteros Apache será temporariamente deslocada para a base aérea de Suwon", cita agência Yonhap as palavras do representante do comando americano. 

Helicópteros AH-64 Apache nos exercícios militares Trident Juncture 2015, da OTAN
AH-64 Apache © REUTERS/ Paul Hanna

Os helicópteros de combate AH-64 Apache devem substituir helicópteros leves 30 OH-58D Kiowa Warrior. Washington espera desta forma aumentar a prontidão de combate dos militares americanos em caso das provocações por parte da Coreia do Norte. 

Ontem, o ex-diplomata norte-coreano que fugiu de Londres para a Coreia do Sul declarou que Pyongyang tem intenções de terminar os trabalhos de elaboração do míssil balístico intercontinental até 2018. 

Segundo a agência Yonhap, os mísseis em questão são os KN-08, com lançadores móveis e alcance superior a 13 mil quilômetros, ou seja, capazes de atingir a parte continental dos EUA.

Mais tarde a chancelaria norte-coreana disse que o país pode lançar o míssil a partir de qualquer lugar e em qualquer hora. 

Ashton Carter, chefe do Pentágono, advertiu que os EUA vão abater o míssil se este ameaçar a segurança nacional norte-americana.

Postar um comentário