Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

EUA e Coreia do Sul pretendem criar brigada para eliminar Kim Jong-un

As Forças Armadas da Coreia do Sul e as tropas especiais dos EUA planejam criar uma unidade militar que será encarregada assassinar o líder norte-coreano, Kim Jong-un, caso iniciem ações militares na Península Coreana. 


Sputnik

As informações são da agência Yonhap que cita fontes do Exército sul-coreano. 

Soldados sul-coreanos e norte-americanos durante exercícios conjuntos na cidade de Pohang, Coreia do Sul, 6 de julho de 2016
Tropas sul-coreanas e norte-americanas em treinamento na Coreia do Sul © AFP 2016/ JUNG YEON-JE

A brigada com número entre um e dois mil soldados será formada já neste ano. A fonte informa que os militares dos EUA serão comandados pela Coreia do Sul.

Durante os exercícios militares conjuntos, os soldados treinarão cenários que poderão acontecer na Península Coreana. No ano em curso, Washington e Seul acordaram em aumentar o número de manobras conjuntas. Destaca-se que o objetivo da brigada especial será eliminar a chefia militar e política da Coreia do Norte em caso de guerra.

Anteriormente, em 30 de novembro de 2016, o Conselho de Segurança da ONU aprovou resolução que reforça sanções contra a Coreia do Norte, depois do 5º teste nuclear realizado por Pyongyang em setembro do ano passado. O documento limita a cooperação com a Coreia do Norte em várias áreas, amplia as sanções contra indivíduos e entidades, bem como anuncia a proibição de exportação de novos produtos para o país. No entanto, Pyongyang insiste na continuação do fortalecimento das "forças de dissuasão nuclear" até que os EUA parem com as ameaças.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas