Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

EUA e Coreia do Sul pretendem criar brigada para eliminar Kim Jong-un

As Forças Armadas da Coreia do Sul e as tropas especiais dos EUA planejam criar uma unidade militar que será encarregada assassinar o líder norte-coreano, Kim Jong-un, caso iniciem ações militares na Península Coreana. 


Sputnik

As informações são da agência Yonhap que cita fontes do Exército sul-coreano. 

Soldados sul-coreanos e norte-americanos durante exercícios conjuntos na cidade de Pohang, Coreia do Sul, 6 de julho de 2016
Tropas sul-coreanas e norte-americanas em treinamento na Coreia do Sul © AFP 2016/ JUNG YEON-JE

A brigada com número entre um e dois mil soldados será formada já neste ano. A fonte informa que os militares dos EUA serão comandados pela Coreia do Sul.

Durante os exercícios militares conjuntos, os soldados treinarão cenários que poderão acontecer na Península Coreana. No ano em curso, Washington e Seul acordaram em aumentar o número de manobras conjuntas. Destaca-se que o objetivo da brigada especial será eliminar a chefia militar e política da Coreia do Norte em caso de guerra.

Anteriormente, em 30 de novembro de 2016, o Conselho de Segurança da ONU aprovou resolução que reforça sanções contra a Coreia do Norte, depois do 5º teste nuclear realizado por Pyongyang em setembro do ano passado. O documento limita a cooperação com a Coreia do Norte em várias áreas, amplia as sanções contra indivíduos e entidades, bem como anuncia a proibição de exportação de novos produtos para o país. No entanto, Pyongyang insiste na continuação do fortalecimento das "forças de dissuasão nuclear" até que os EUA parem com as ameaças.


Postar um comentário