Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Explosão em Bagdá deixa dezenas de mortos

Um homem bomba teria provocado a explosão na manhã desta segunda-feira (2). Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque.


G1


Uma explosão na manhã desta segunda-feira (2) em um mercado em Bagdá, a capital do Iraque, deixou ao menos 24 mortos. A BBC informou que o ataque foi provocado por um homem bomba. O Estado Islâmico reivindicou o ataque em um anúncio divulgado pela agência Amaq, que é ligada à organização terrorista. 

Resultado de imagem para homem bomba cidade sadr bagda
Ataque a bomba em Bagdá, Iraque (Foto: Karim Kadim/AP)

O número de vítimas ainda não está claro. A agência Reuters diz que 24 pessoas morreram. A France Presse afirma que foram 32. Já a BBC indica 35 mortos e mais de 60 feridos.

As vítimas do atentado são em sua maioria trabalhadores que esperavam para ser contratados em uma praça de Cidade Sadr, um bairro situado no nordeste de Bagdá que já foi palco de vários atentados mortíferos no passado, segundo a France Presse.

Postar um comentário