Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares norte-americanos acreditam que EUA entrarão em guerra

Quase metade do Exército dos EUA está confiante de que durante o ano de 2019 seu país estará envolvido em um grave conflito armado, de acordo com o Military Times.
Sputnik

Segundo uma pesquisa recente, 46% dos participantes não duvidam que o confronto militar ocorrerá no próximo ano.


A título de comparação, em 2017, apenas 5% dos militares dos EUA esperavam um conflito armado, enquanto 50% descartaram um cenário de guerra e 4% não responderam.

Quanto aos inimigos mais prováveis, os soldados dos EUA mencionaram principalmente a Rússia e a China. Respectivamente, 72% e 69% dos entrevistados escolheram esses dois países.

Além disso, cerca de 57% estão preocupados com a presença de extremistas islâmicos nos Estados Unidos. Em particular, 48% destacaram uma possível ameaça por parte dos grupos terroristas Daesh e Al Qaeda (proibidos na Rússia e em outros países).

General sírio morto por disparo de franco-atirador durante negociações no Vale do Barada

O general de brigada sirio Ahmad Ghadban, um dos coordenadores do processo de reconciliação na região do Vale do Barada, morreu neste sábado (14) com um tiro de um franco-atirador, declarou à Sputnik uma fonte das forças de segurança locais.


Sputnik


De acordo com a fonte, o general foi atingido enquanto regressava com uma equipe de manutenção do manancial de Ain al-Fija, uma das principais fontes de água potável para a população de Damasco. O rio Barada é o mais importante de dois rios que passam pela capital da Síria. 

Pessoas andando às margens do rio Barada na capital síria, Damasco, em 3 de janeiro de 2017
Rio Barada em Damasco, Síria © AFP 2016/ LOUAI BESHARA

No final de dezembro, um duto d'água na região sofreu uma explosão durante enfrentamentos com os terroristas, afetando cerca de 5,5 milhões de pessoas em Damasco. Militantes da Frente Fatah al-Sham (ex-Frente al-Nusra) também capturaram a estação de bombeamento de Ain al-Fija. 

Na quarta-feira (11), o governador da província de Damasco disse que acordos haviam sido alcançados com os militantes para que os engenheiros do governo acessassem as instalações de Ain al-Fija e consertassem os dutos d'água no Vale do Barada. Poucas horas depois, os rebeldes negaram que qualquer acordo tivesse sido alcançado com a liderança síria. 

Na sexta-feira (13), a mídia estatal síria informou que o exército sírio e militantes da oposição armada haviam acordado uma trégua no Vale do Barada.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas