Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Índia planeja comprar centenas de mísseis para sistema antiaéreo russo

Há muito tempo, a Índia tenta substituir o sistema antiaéreo autopropulsado de fabricação russa Kvadrat. O difícil para o país é encontrar uma opção apropriada capaz de proteger 500 áreas e pontos de vulnerabilidade do seu território.


Sputnik

A Índia encomendou cerca de 200 mísseis para o sistema autopropulsado 2K12 Kub/Kvadrat.


Sistema de defesa antiaérea russo ZRK 2K12 KUB (versão KVADRAT destinada à exportação)
Sistema russo de defesa antiaerea ZRK 2K12 Kub (versão Kvadrat) © Foto: kollektsiya.ru

Os mísseis indianos do sistema de defesa antiaérea terra-ar Akash deveriam substituir os mísseis 3M9ME/3M9M3E do sistema Kvadrat para oferecer uma maior proteção aérea das forças mecanizadas em manobras militares. Kvadrat se destina à defesa aérea de efetivos e objetos contra aviões do inimigo que voam em altitudes baixas e médias com velocidades subsônicas e supersônicas.

O Exército indiano comunicou que o sistema Akash, além de atingir alvos em um raio de até 25 quilômetros, possui probabilidade de destruição de alvos com um único disparo equivalente a 80%. O Exército deseja aumentar a porcentagem citada acima para 96% já em 2018.

É evidente que o Exército vá continuar usando o Kvadrat, pois o sistema de defesa antiaérea Akash perde em termos de rapidez, eficácia e tempo de reação. Além disso, sua cobertura de radar é inferior a 360 graus.

No ano passado, a Índia emitiu licitações para várias empresas internacionais. A empresa russa Rosoboronexport e várias outras companhias estrangeiras da França, EUA, Israel, Bielorrússia, Coreia do Sul e Alemanha, estão na lista.



Postar um comentário