Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares norte-americanos acreditam que EUA entrarão em guerra

Quase metade do Exército dos EUA está confiante de que durante o ano de 2019 seu país estará envolvido em um grave conflito armado, de acordo com o Military Times.
Sputnik

Segundo uma pesquisa recente, 46% dos participantes não duvidam que o confronto militar ocorrerá no próximo ano.


A título de comparação, em 2017, apenas 5% dos militares dos EUA esperavam um conflito armado, enquanto 50% descartaram um cenário de guerra e 4% não responderam.

Quanto aos inimigos mais prováveis, os soldados dos EUA mencionaram principalmente a Rússia e a China. Respectivamente, 72% e 69% dos entrevistados escolheram esses dois países.

Além disso, cerca de 57% estão preocupados com a presença de extremistas islâmicos nos Estados Unidos. Em particular, 48% destacaram uma possível ameaça por parte dos grupos terroristas Daesh e Al Qaeda (proibidos na Rússia e em outros países).

Militares indicam passos para conter 'agressão russa' na Europa

O general Curtis Scaparrotti, chefe do comando europeu das Forças Armadas dos EUA, apresentou um relatório à chefia do Pentágono sobre os passos para resistir à "agressão russa", declarou a jornalistas Ashton Carter, secretário de Defesa dos EUA. 


Sputnik

"Realizamos um encontro de dirigentes para negociar os passos com vista a garantir a segurança nas próximas semanas e meses. Falamos também os assuntos da resistência às ameaças-chaves crescentes que nós estamos enfrentando", disse Carter na coletiva de imprensa do Pentágono.

Soldados poloneses e norte-americanos durante exercícios conjuntos Anakonda 16 perto de Torun, Polônia, junho de 2016
Soldados poloneses e dos EUA em exercício na Polônia © REUTERS/ Kacper Pempel

"Destacamos a nossa unidade com os parceiros da OTAN", adicionou ele.

Comentando as declarações de que a Rússia supostamente ameaça os Países Bálticos e a Polônia, Sergei Lavrov, chanceler russo, havia dito que a OTAN está bem ciente de que Moscou não tem planos de atacar alguém. De acordo com ministro do Exterior russo, essas declarações são apenas um pretexto para implementar mais equipamento militar nas fronteiras da Rússia.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas