Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Operação Potiguar II reforça ações de segurança na Grande Natal

DefesaNet

No período de 20 a 30 de janeiro, a Força-Tarefa Guararapes, que está atuando em ação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) na Região Metropolitana de Natal (atividade intitulada Operação Potiguar II), reforça as ações de segurança, visando possibilitar a livre circulação dos meios de transporte e das pessoas. 


Foto: Exército Brasileiro

No domingo, dia 22, em menos de 48 horas do início da Operação, a Força-Tarefa já completou seu efetivo total com mais de 1.800 militares das Forças Armadas, os quais atuam de forma integrada com os Órgãos de Segurança Pública (OSP), que se encontram sob o controle operacional do Comando da Operação. Com isso, foram intensificadas as ações de patrulhamento ostensivo, de estabelecimento de postos de bloqueio e controle de vias urbanas, de realização de revistas de pessoal e veículos e de prisões em flagrante delito.

Além disso, fruto do estudo de Inteligência, efetivado, em conjunto, entre especialistas das Forças Armadas e dos OSP, foram levantados cerca de 20 pontos considerados mais sensíveis. Nesses locais, a segurança será otimizada por meio da presença de tropas federais, liberando policiais e agentes dos OSP para atuarem de forma mais eficaz no atendimento às ocorrências demandas pela população.

Portanto, por meio dessas medidas, a Força-Tarefa Guararapes entende que as condições de segurança estão sendo restabelecidas, possibilitando a livre circulação dos transportes e das pessoas na Grande Natal, bem como a retomada da situação de normalidade à vida do povo natalense.

Forças Armadas nas ruas circulação de ônibus na Grande Natal chega a 80% A circulação de ônibus na região metropolitana de Natal, capital do Rio Grande do Norte, atingiu a marca de 80% nesta terça-feira (24). Isso é reflexo da Operação Potiguar II, sob o comando das Forças Armadas que, desde a última sexta-feira (20), iniciaram a ocupação dos principais pontos da região em função da crise na segurança pública, tendo como consequência ataques a ônibus e depredação do patrimônio público.

“A presença das Forças Armadas está permitindo que a rotina da população seja retomada. Esperamos que dentro das próximas horas o transporte público esteja operando com toda sua capacidade”, destacou o Ministro Jungmann.

Com o patrulhamento nas ruas de Natal e municípios vizinhos, não há mais registro de ataques a ônibus ou a prédios públicos.


Postar um comentário