Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Rússia desmente pretender criar bases militares na Líbia

A Rússia não está conduzindo negociações com vista a criar bases militares na Líbia, disse Viktor Ozerov, chefe da Comissão de Defesa do Conselho da Federação Russa.


Sputnik


Anteriormente, no artigo denominado "Será a Líbia uma segunda Síria?", o jornal suíço Neu Zuercher Zeitung tinha citado a mídia italiana e do Golfo Pérsico dizendo que o comandante supremo líbio Khalifa Haftar teria assinado um acordo sobre planos de Moscou de criar bases nas cidades de Tobruk e Benghazi durante sua visita ao porta-aviões russo Admiral Kuznetsov.

Marinheiros do cruzador de mísseis pesado russo Pyotr Veliky durante a estadia do navio no porto de Tartus, Síria (foto de arquivo)
Marinheiros do cruzador Pyotr Veliky © Sputnik/ Grigory Sysoev

"Não realizamos tais conversações", disse Ozerov à Sputnik.

Ao mesmo tempo, o senador russo destacou que a base de Tartus na Síria é um exemplo da cooperação militar "destinada não contra alguém, mas para o bem de alguém".

"A Marinha russa pode desempenhar um papel pacificador no Mediterrâneo, as bases podem ser usadas para combater os piratas, proteger as fronteiras", afirmou Viktor Ozerov.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas