Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Senegal invade Gâmbia e empossa novo presidente

Operação militar contou com apoio dos Estados Unidos e autorização do Conselho de Segurança da ONU.


Sputnik


Depois anunciar ontem que estava posicionando forças militares na fronteira com Gâmbia, as Forças Armadas do Senegal anunciaram hoje que suas tropas invadiram o país.

Adama Barrow
Adama Barrow presidente eleito de Gâmbia © REUTERS/ Thierry Gouegnon

O Senegal tenta forçar a saída do presidente de Gâmbia, Yahya Jammeh, a deixar o poder após 22 anos. Ele chegou à presidência por meio de um golpe militar e venceu quatro pleitos pela reeleição até tentar o quinto mandato no ano passado. Jammeh perdeu a disputa para o candidato de oposição Adama Barrow, um ex-segurança de uma loja de departamentos em Londres, mas se recusava a aceitar o resultado das urnas.

A entrada das tropas foi autorizada pelo Conselho de Segurança da ONU após pedido formal de Senegal e do bloco regional Comunidade Econômica dos Estados de África Ocidental (Cedeao). A operação militar foi conduzida com apoio dos Estados Unidos.

"Nós apoiamos e apoiamos porque entendemos que o objetivo é ajudar a estabilizar uma situação intensa", afirmou o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, John Kirby.

O presidente-eleito foi empossado na Embaixada gambiana em Dacar, capital do Senegal, por questões de segurança.

Postar um comentário