Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Tailândia recusa comprar tanques ucranianos

O Ministério da Defesa da Tailândia rompeu o contrato com Kiev para o fornecimento de tanques Oplot devido ao não cumprimento das cláusulas do acordo pela parte ucraniana.


Sputnik


A notícia foi divulgada pela edição ucraniana Vesti, que cita a declaração do ministro da Defesa tailandês, general Pravit Vongsumon. 

Tanques ucranianos Oplot para serem fornecidos à Tailândia
Tanque ucraniano Oplot © AFP 2016/ SERGEY BOBOK

Segundo ele, no âmbito do contrato assinado em 2011, o Exército da Tailândia devia receber 49 tanques até outubro de 2017, mas surgiram dificuldades no fornecimento. Em 2016, a Ucrânia entregou ao país apenas 20 tanques Oplot. O governo tailandês explica que a situação está ligada à crise interna ucraniana. 

Após isso, o Comitê do Exército da Tailândia responsável pela compra do material bélico reduziu o volume do fornecimento proveniente da Ucrânia e depois passou completamente para os tanques chineses. A Tailândia e a China firmaram um contrato para fornecer 28 veículos de combate VT-4, com possibilidade de aumentar as encomendas.


Postar um comentário