Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Trump: sanções conta Rússia podem ser revogadas em troca de acordo de redução nuclear

O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, pretende discutir uma ampla redução de arsenais nucleares durante as negociações com a Rússia sobre desarmamento, segundo ele declarou em entrevista para a Times.


Sputnik


“Algo é certo. Penso que o armamento nuclear deve ser reduzido. E reduzido de forma significativa”, disse Trump, quando perguntado pelo jornalista da Times das perspectivas de futuras negociações da Rússia e dos EUA sobre desarmamento nuclear. 

© AFP 2016/ Savo PRELEVIC

Trump afirmou que EUA poderiam revogar algumas das sanções contra a Rússia em troca de um acordo bilateral sobre redução de armamentos nucleares. 

“Existem sanções contra a Rússia. Vamos ver se é possível celebrar bons acordos com a Rússia. Por exemplo, eu penso que deve haver muito menos armas nucleares. O arsenal deve ser reduzido de forma significativa. Isso por um lado. Por outro, temos as sanções. A Rússia está sofrendo muito com elas. Eu penso que alguma coisa pode sair disso, algo que trará vantagens para muitos”, disse o presidente eleito dos EUA. 

Donald Trump assume a presidência dos EUA no dia 20 de janeiro.


Postar um comentário