Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia não considera Patriot como alternativa ao S-400, diz parlamentar turco

Washington está negociando com Ancara quanto à possibilidade de fornecimento dos sistemas de defesa antiaérea norte-americanos Patriot no lugar dos S-400 russos, escreveu a revista turca Sabah, citando a assessora do Secretário de Estado dos EUA em questões políticas, Tina Kaidanow.
Sputnik

Kaidanow relevou que o Departamento do Estado está negociando com a Turquia para "tentar dar a entender aos turcos o que se pode fazer em relação aos Patriot".

"Estamos preocupados que a compra dos sistemas russos de defesa antiaérea seja uma espécie de apoio para a Rússia que, pelo que vimos, não se comporta bem em várias partes do mundo, inclusive na Europa", afirmou a assessora, citada pela edição turca.

Um representante do Ministério das Relações Exteriores turco, que pediu anonimato, comentou à Sputnik Turquia sobre a situação quanto às compras dos S-400 por Ancara, bem como quanto ao diálogo com os EUA.
"A nossa postura em relação aos S-400 foi reiterada por diversas vezes…

Ucrânia autoriza entrada de militares estrangeiros para futuras manobras

A Suprema Rada aprovou uma lei que autoriza a presença de unidades militares estrangeiras em território ucraniano, ao longo deste ano, com o fim de participarem de manobras internacionais, inclusive dos exercícios ucraniano-americanos Sea Breeze 2017 e Rapid Trident 2017.


Sputnik

O projeto de lei apresentado pelo presidente Pyotr Poroshenko foi apoiado por 236 parlamentares, sendo que o mínimo necessário é de 226.


Militares norte-americanos chegaram à Ucrânia para participar dos exercícios americano-ucranianos Fearless Guardian 2015, 20 de abril de 2015
Militares dos EUA na Ucrânia © Sputnik/ Stringer

A autorização também abrange os militares norte-americanos, dos países-membros da OTAN e dos participantes do programa Parceria para a Paz que contam com até 3 mil efetivos, além de 6 aviões e helicópteros.

No território ucraniano é proibida a atuação de quaisquer unidades militares não previstas pela lei e não é permitida a instalação de bases militares estrangeiras. É por isso que de cada vez as tropas europeias apenas são admitidas no território do país após aprovação de uma lei especial apresentada pelo presidente.

Vale ressaltar que a 10ª disposição dos acordos de Minsk, celebrados em 15 de fevereiro de 2015, impõe que deve ser efetuada a retirada de todas as unidades armadas e material bélico estrangeiros, assim como dos mercenários, do território da Ucrânia sob supervisão da OSCE. Também é exigido o desarmamento de todos os grupos armados ilegais.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas