Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No decorrer da operação Ramo de Oliveira será criada zona de segurança na Síria

O primeiro-ministro turco Binali Yildirim anunciou a criação, durante a operação militar turca na província síria de Afrin, de uma faixa de segurança de 30 quilômetros.
Sputnik

O premiê, citado pela emissora Haberturk, adiantou também que a operação seria efetuada em quatro etapas.


"A operação vai decorrer em 4 etapas com o objetivo de criar uma faixa de segurança de 30 quilômetros, que será limpa de terroristas", disse o político, citado pela emissora NTV.

Yildirim adiantou que até agora não há mortos ou feridos entre o contingente turco que realiza a operação.

Mais cedo, o Estado-Maior da Turquia anunciou o início da operação "Ramo de Oliveira" contra os grupos curdos na província síria de Afrin, que começou precisamente às 14h00 locais (12h00 no horário de Brasília). De acordo com a entidade militar, a operação conta com a participação de 72 aviões, enquanto 108 dos 113 alvos planejados já foram eliminados. Há poucos dias, o premiê turco, Binali Yildirim, havia avanç…

Deputado sírio: 'Daesh e Frente al-Nusra não conseguiriam nada sem apoio estrangeiro'

Os grupos terroristas Daesh (o chamado Estado Islâmico) e Frente al-Nusra, ambos proibidos na Rússia, não obteriam resultados sem o apoio financeiro de patrocinadores estrangeiros, disse um representante da União Socialista Árabe Síria Khaled Al Aboud.


Sputnik

"Por exemplo, a organização terrorista Daesh, desde a sua fundação, realizou a vontade de estados estrangeiros, incluindo os países do Golfo Pérsico", disse à agência de notícias russa Rossiya Segodnya por meio de uma videoconferência.


Militantes do grupo terrorista Daesh
Terroristas do Estado Islâmico © AP Photo/ Karim Kadim

O político sublinhou que os terroristas de Daesh "não obteriam nada se não recebessem a ajuda de estrangeiros". Al Aboud disse que ambas as organizações de Daesh e al-Nusra (atual Jabhat Fatah al-Sham) são "usadas por forças estrangeiras em seus próprios interesses".

O deputado acrescentou ainda que os rebeldes sírios não representam a oposição, mas são o instrumento de uma "agressão".


Postar um comentário