Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

EI executa um dos líderes do grupo em Al Raqqa por facilitar fuga de civis

Ele era responsável por um posto de controle da organização no sul da cidade de Al Raqqa.


EFE

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) executou um dos líderes da organização na província de Al Raqqa, no norte da Síria, após ele ter facilitado a fuga de civis para fora de territórios controlados pelos extremistas, informou nesta quinta-feira (2) o Observatório Sírio de Direitos Humanos. 

Resultado de imagem para estado islamico raqqa
Estado Islâmico crucifica cidadão de Raqqa, na Síria | Divulgação

O líder do EI foi executado nas últimas 48 horas depois de ter sido capturado com outros seguidores do grupo, explicou o Observatório. Ele era responsável por um posto de controle da organização no sul da cidade de Al Raqqa e foi acusado de ter facilitado a saída de civis da região.

Segundo o Observatório, ele admitiu o "contrabando de muçulmanos para fora do território do califado e que os ajudou a fugir para as terras dos ateus e dos apóstatas".

Ainda não se sabe se outros membros da organização que foram presos com o líder tiveram o mesmo destino.

O EI proclamou no fim de junho de 2014 um califado em parte dos territórios da Síria e do Iraque. Nos locais dominados pelo grupo, os jihadistas aplicam uma versão radical da "sharia" (lei islâmica) e impõem duros castigos aos que transgridem as normas. Entre as punições estão a morte por decapitação e as crucificações.

Postar um comentário