Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No decorrer da operação Ramo de Oliveira será criada zona de segurança na Síria

O primeiro-ministro turco Binali Yildirim anunciou a criação, durante a operação militar turca na província síria de Afrin, de uma faixa de segurança de 30 quilômetros.
Sputnik

O premiê, citado pela emissora Haberturk, adiantou também que a operação seria efetuada em quatro etapas.


"A operação vai decorrer em 4 etapas com o objetivo de criar uma faixa de segurança de 30 quilômetros, que será limpa de terroristas", disse o político, citado pela emissora NTV.

Yildirim adiantou que até agora não há mortos ou feridos entre o contingente turco que realiza a operação.

Mais cedo, o Estado-Maior da Turquia anunciou o início da operação "Ramo de Oliveira" contra os grupos curdos na província síria de Afrin, que começou precisamente às 14h00 locais (12h00 no horário de Brasília). De acordo com a entidade militar, a operação conta com a participação de 72 aviões, enquanto 108 dos 113 alvos planejados já foram eliminados. Há poucos dias, o premiê turco, Binali Yildirim, havia avanç…

EI executa um dos líderes do grupo em Al Raqqa por facilitar fuga de civis

Ele era responsável por um posto de controle da organização no sul da cidade de Al Raqqa.


EFE

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) executou um dos líderes da organização na província de Al Raqqa, no norte da Síria, após ele ter facilitado a fuga de civis para fora de territórios controlados pelos extremistas, informou nesta quinta-feira (2) o Observatório Sírio de Direitos Humanos. 

Resultado de imagem para estado islamico raqqa
Estado Islâmico crucifica cidadão de Raqqa, na Síria | Divulgação

O líder do EI foi executado nas últimas 48 horas depois de ter sido capturado com outros seguidores do grupo, explicou o Observatório. Ele era responsável por um posto de controle da organização no sul da cidade de Al Raqqa e foi acusado de ter facilitado a saída de civis da região.

Segundo o Observatório, ele admitiu o "contrabando de muçulmanos para fora do território do califado e que os ajudou a fugir para as terras dos ateus e dos apóstatas".

Ainda não se sabe se outros membros da organização que foram presos com o líder tiveram o mesmo destino.

O EI proclamou no fim de junho de 2014 um califado em parte dos territórios da Síria e do Iraque. Nos locais dominados pelo grupo, os jihadistas aplicam uma versão radical da "sharia" (lei islâmica) e impõem duros castigos aos que transgridem as normas. Entre as punições estão a morte por decapitação e as crucificações.

Postar um comentário