Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Em meio a pressão militar, ISIL recorre a métodos secretos de comunicação e recrutamento

“Embora o rendimento do grupo e do território sob seu controle esteja encolhendo, o ISIL ainda parece ter fundos suficientes para continuar lutando”, disse o subsecretário-geral ONU para assuntos políticos, apresentando o relatório sobre a ameaça que o Estado Islâmico coloca aos esforços internacionais de paz e segurança.


ONU

O Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL/Da’esh) está na defensiva em várias regiões, mas também está se adaptando à pressão militar, recorrendo a métodos cada vez mais secretos de comunicação e de recrutamento.


Carro-bomba em Mossul, Iraque. Foto: ACNUR/Ivor Prickett
Carro-bomba em Mossul, Iraque. Foto: ACNUR/Ivor Prickett

A Informação é do subsecretário-geral da ONU para assuntos políticos, Jeffrey Feltman, que atualizou o Conselho de Segurança sobre a situação na terça-feira (7).

De acordo com Feltman, os combatentes estão usando o que chamou de “dark web”.

A ‘dark web’ é formada por sites e servidores de internet que não aparecem em mecanismos de busca como o Google, por exemplo. Eles só são acessados através de ferramentas, códigos e programas especiais.

“Embora o rendimento do grupo e do território sob seu controle esteja encolhendo, o ISIL ainda parece ter fundos suficientes para continuar lutando”, disse o subsecretário-geral, apresentando o relatório sobre a ameaça que o Estado Islâmico coloca aos esforços internacionais de paz e de segurança.

De acordo com o documento, embora a ofensiva militar na Líbia tenha desalojado os combatentes de Sirte, a ameaça do grupo para o país e para a região persiste, com cerca de 3 mil lutadores situados em outras áreas líbias.

“O ISIL tem aumentado a sua presença na África Ocidental e no Magrebe, embora o grupo não controle terras significativas na região. A promessa de lealdade ao ISIL por parte da facção dissidente Al-Mourabitoun pode elevar o nível da ameaça”, alertou Feltman.

“O Boko Haram também está tentando espalhar a sua influência e cometer atos terroristas além da Nigéria, e continua representando uma séria ameaça, com milhares de combatentes à sua disposição”, acrescentou.

Feltman afirmou que a comunidade internacional precisa desenvolver respostas coordenadas e sustentadas à ameaça do grupo e de entidades associadas.

Para ele, o mundo precisa aumentar os esforços para prevenir e resolver os conflitos violentos que servem não só para fomentar atentados, mas também se tornam piores por causa do terrorismo.

“Em última análise, somente a propagação e a consolidação da paz, da segurança, do desenvolvimento e dos direitos humanos vão privar o terrorismo do oxigênio que ele precisa para sobreviver”, concluiu.



Postar um comentário