Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Fragatas da Espanha e Canadá seguem rumo à Romênia para exercícios da OTAN

As fragatas espanhola e canadense Almirante Juan e St. John's que participam dos exercícios internacionais conjuntos da OTAN e Ucrânia Sea Shield 2017 estão a caminho do porto romeno de Constanta no mar Negro.


Sputnik


A notícia foi dada na quinta-feira (02) por uma fonte militar e diplomática à Sputnik.

Navios militares da OTAN durante exercícios navais no mar Negro perto do porto romeno de Constanta
Navios militares da OTAN no Mar Negro © AFP 2016/ DANIEL MIHAILESCU

No âmbito das manobras no porto, será realizada uma conferência de planejamento militar.

Após isso, os navios de guerra seguirão para o leste do mar Negro, onde praticarão resposta a ameaças aéreas, submarinas e navais, tudo de acordo com os padrões da OTAN.

Os primeiros exercícios navais Sea Shield 2017 tiveram início no dia 1º de fevereiro no aquatório do mar Negro. As manobras contam com participação da Ucrânia e de sete países-membros da OTAN – Romênia, Bulgária, Grécia, Turquia, EUA, Canadá, Espanha e Ucrânia e envolvem 2,8 mil militares, 16 navios de guerra e 10 aviões.

Postar um comentário