Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Grã-Bretanha vai enviar destróier para o mar Negro pela primeira vez desde a Guerra Fria (video)

A Marinha da Grã-Bretanha vai enviar um navio da guerra para o mar Negro pela primeira fez após o fim da Guerra Fria. Segundo a mídia, o destróier vai participar de "exercícios secretos" com militares da Ucrânia.


Sputnik

O destróier britânico HMS Diamond, equipado com mísseis Sea Viper, fará uma missão no mar Negro, o que acontece pela primeira vez desde que a Guerra Fria terminou, comunica o jornal Sunday Mail.


O destroier britânico HMS Diamond
Destroier britânico HMS Diamond © flickr.com/ Rennett Stowe

Segundo o jornal, o destróier terá por missão proteger os 650 militares britânicos que participam dos exercícios.

Por sua vez, o presidente do Movimento russo de assistência à Marinha, Mikhail Nenachev, disse o seguinte: "A presença da Grã-Bretanha no mar Negro não representa nenhum problema para nós. Uma vedeta lança-mísseis e os aviões da nossa aviação naval do mar Negro podem neutralizar um dos navios mais modernos da Marinha britânica".

Em dezembro do ano passado, o chefe de Estado-maior Valery Gerassimov constatou a intensificação das atividades da OTAN no mar Báltico. Segundo ele, a Aliança está aumentando o número de militares na linha de fronteira entre a Rússia e a OTAN, concentrando armamento e desenvolvendo a sua infraestrutura militar.




Postar um comentário