Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Inteligência de Donetsk relata que Kiev quer reforçar bloqueio de Donbass

A inteligência da república autoproclamada de Donetsk dispõe de fatos que revelam a intenção dos militares ucranianos de realizar ataques contra objetos de infraestrutura urbana de suporte de vida.


Sputnik

A informação foi divulgada por Eduard Basurin, vice-chefe do comando operacional da república autoproclamada de Donetsk.


Combatente da autoproclamada República Popular de Lugansk em Donbass
Defensor de Donetsk © Sputnik/ Valery Melnikov

"A nossa inteligência obteve informações sobre intenções da Ucrânia de reforçar o bloqueio de Donbass. Em particular, sabemos que os destacamentos dos batalhões nacionalistas foram encarregados de atacar os objetos do sistema de suporte de vida e infraestrutura de todas as localidades que ficam perto da linha de frente. Isto é confirmado pelos ataques já realizados contra casas de caldeiras, linhas de transmissão de energia elétrica, dutos de gás e ligações rodoviárias", declarou Basurin aos jornalistas.

Ele acrescentou que os militares ucranianos podem tentar perturbar a comunicação entre o território da República de Donetsk e a parte da região que está sob controle de Kiev.

A tensão em Donbass aumentou nos últimos dias de janeiro, quando as repúblicas não reconhecidas de Donetsk e Lugansk relataram ataques realizados por parte do exército ucraniano. Hoje em dia, a situação no Leste da Ucrânia permanece grave, as partes em conflito denunciam diariamente violações do regime do cessar-fogo.



Postar um comentário