Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Israel propõe aliança com EUA e Reino Unido contra 'agressão extraordinária' do Irã

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse neste dominhgo (5), antes de partir para Londres, que os EUA, o Reino Unido e Israel devem formar uma frente comum para combater a "agressão extraordinária" do Irã.


Sputnik


Teerã, de acordo com Netanyahu, "está tentando testar os limites" das novas administrações em Washington e Londres "com uma agressão extraordinária".

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel
Benjamin Netanyahu, Primeiro-ministro israelense © AFP 2016/ RONEN ZVULUN / POOL 

No final de janeiro, o Irã realizou um teste com um míssil balístico intercontinental, em suposta violação a uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, o que provocou críticas de Israel e dos EUA.

"Há uma nova administração em Washington, um novo governo na Grã-Bretanha. Pretendo falar com os dois para fortalecer nossos laços, entre cada um deles e Israel e entre os três", disse Netanyahu antes de embarcar no avião para Londres.

Amanhã, o chefe do governo israelense se reunirá pela primeira vez com a primeira-ministra britânica, Theresa May, e em 15 de fevereiro vai se reunir com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca. May e Trump, por sua vez, se encontraram no final de janeiro.

"Eu acho que a coisa mais importante agora é que países como os EUA, com os seus líderes, e a Grã-Bretanha e Israel, se levantem unidos contra a agressão do Irã e estabeleçam limites claros", disse Netanyahu.

O primeiro-ministro israelense também se reunirá com o ministro das Relações Exteriores britânico, Boris Johnson.

Postar um comentário