Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Opinião: em caso de conflito no mar Negro, navio dos EUA será destruído em poucos minutos

Caso haja um conflito militar no mar Negro, um navio da Marinha dos EUA será destruído pelos sistemas de mísseis da Frota do Mar Negro em alguns minutos, declarou à Sputnik o vice-presidente do Conselho de Veteranos da Rússia, antigo comandante das tropas costeiras da Frota do Mar Negro, major-general Vladimir Romanenko.


Sputnik


Mais cedo, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, informou que a Aliança tomou a decisão de aumentar sua presença militar no mar Negro. Os grupos navais permanentes da OTAN irão entrar no mar Negro com mais frequência, intensificarão os exercícios militares na região, se ocuparão em recolher informações sobre a situação na região e também serão responsáveis pela coordenação da interação com as marinhas dos aliados na região.

Destróier USS Porter da marinha dos EUA (DDG 78) durante uma visita planejada ao porto de Constança, Romênia, 13 de junho de 2016
USS Porter da US Navy em visita a Romênia © REUTERS/ US Navy/Mass Communication Specialist 3rd Class Robert S. Price/Handout

"Um navio norte-americano terá alguns minutos de vida no mar Negro, lhe digo com toda responsabilidade, porque os sistemas de mísseis de que dispõe a Frota do Mar Negro, ainda por cima a partir de várias direções, não permitirão a um navio desempenhar suas tarefas operacionais e estratégicas no mar Negro", afirmou Romanenko.

As tropas costeiras da Frota do Mar Negro atualmente dispõem de sistemas de mísseis Bal e Bastion.


Postar um comentário