Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Pentágono diz ter usado urânio empobrecido na Síria em 2015

France Presse

Em 2015, os Estados Unidos recorreram duas vezes a controversos projéteis com urânio empobrecido em suas operações contra o grupo Estado Islâmico (EI) – disseram fontes do Pentágono nesta quinta-feira (16). 


Resultado de imagem para obuseiro eua
Obuseiro norte-americano M-109

O Departamento americano da Defesa informou que a munição com urânio empobrecido eram obuses, um tipo de projétil oco que leva carga explosiva ou algum outro tipo de substância. O urânio foi usado em 16 e 22 de novembro de 2015, em bombardeios contra frotas de caminhões-tanque do EI na Síria.

Os obuses com urânio empobrecido são munições antiblindagem, cujo uso é criticado por organizações internacionais pelos riscos que implicam para a saúde dos militares que o manuseiam e também para a população que vive nas zonas envolvidas.

Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), o urânio empobrecido é um “metal pesado, química e radiologicamente contaminante”, que apresenta “cerca de 60% da radioatividade do urânio natural”.



Postar um comentário