Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Secretário da Defesa dos EUA : 'Irã é o maior estado patrocinador de terrorismo no mundo'

Chefe do Pentágono dos EUA James Mattis classificou o Irã como o “estado que mais financia os terroristas”, comunica a agência AFP.


Sputnik

"O que se toca ao Irã, ele é o maior estado patrocinador do terrorismo no mundo", indicou Mattis numa coletiva de imprensa em Tóquio, acrescentando, entretanto, que os EUA não planejam intensificar sua presença militar no Oriente Médio.


General aposentado da Infantaria da Marinha a candidato ao posto de Secretário de Defesa norte-americano, James Mattis
James Mattis, chefe do Pentágono © AP Photo/ Matt Dunham

O Irã realizou, em 29 de janeiro, testes de um míssil balístico do médio alcance. O lançamento de teste foi realizado nos arredores da cidade de Semnan (região norte do Irã), comunica a AFP.

O míssil voou cerca de 966 quilômetros antes de explodir. O ministro da Defesa do país Hossein Dehghan classificou os testes como bem-sucedidos.

Em resposta às ações de Teerã, os EUA aumentaram na sexta (03) a lista de sanções, incluindo nela várias empresas e pessoas físicas do Irã, Emirados Árabes Unidos, China, Kuwait e Líbano.

As sanções haviam sido inicialmente introduzidas devido à realização do programa iraniano de criação de mísseis balísticos.



Postar um comentário