Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Chefe do Estado-Maior russo e da OTAN conversam pela primeira vez em 3 anos

Por telefone, partes discutiram problemas de segurança e perspectivas de interação.


Vassíli Krilov | Gazeta Russa

Nesta sexta-feira (3), o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia, Valéri Guerássimov, e o presidente do Comitê Militar da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), general Petr Pavel, conversaram pela primeira vez após decisão unilateral da aliança de suspender relações com a Rússia em abril de 2014.


The NATO logo statue
Iniciativa partiu da própria Otan, que suspendeu unilateralmente contatos em 2014. Foto:EPA / Vostock-photo

A conversa, realizada por telefone, foi organizada pela Otan, de acordo com o Ministério da Defesa da Rússia.

As partes discutiram problemas de segurança, perspectivas de recuperação da interação na esfera militar, prevenção de incidentes e a participação dos representantes da Aliança em eventos internacionais organizados pelo Ministério da Defesa da Rússia.

"O chefe do Estado-Maior russo expressou preocupação com o aumento significativo da atividade militar da aliança próximo a fronteiras russas”, disse o porta-voz pasta.

Guerássimov também informou ao representante da Otan sobre os principais eventos e exercícios militares das Forças Armadas russas em 2017.

"As partes confirmaram a necessidade de continuar as negociações para reduzir a tensão e estabilizar a situação na Europa. O general Gerássimov e o general Pavel concordaram em continuar esses contatos", completou o porta-voz russo.


Postar um comentário