Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Conselho de Segurança da ONU condena disparo de mísseis norte-coreanos

Quatro mísseis balísticos foram disparados em direção ao Mar do Leste (Mar do Japão) neste domingo.


France Presse

O Conselho de Segurança das Nações Unidas condenou energicamente nesta terça-feira (7) os recentes disparos de mísseis balísticos por parte da Coreia do Norte, e manifestou sua preocupação diante do "comportamento crescentemente desestabilizador" de Pyongyang. 

Resultado de imagem para coreia do norte missil balistico

A enérgica condenação está incluída no projeto de declaração apresentado pelos Estados Unidos, que foi aprovado por unanimidade pelo Conselho, apesar da tensão entre Washington e Pequim em torno da instalação do sistema de defesa antimísseis americano THAAD na Coreia do Sul.

A Coreia do Norte lançou neste domingo (5) quatro mísseis balísticos em direção ao Mar do Leste (Mar do Japão). Na segunda, o país afirmou que os disparos foram um exercício visando atingir, no caso de necessidade, as bases americanas no Japão.

Postar um comentário