Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Corrida aos armamentos entre China e EUA é adiada

Orçamento militar da China aumentará em 2017 em 7% e constituirá cerca de 152 bilhões de dólares, comunica a agência Xinhua citando um representante do Ministério das Finanças.


Sputnik


Anteriormente, o presidente dos EUA Donald Trump afirmou perante o Congresso a sua intenção de aumentar o orçamento militar do país, o que é classificado como o maior aumento da história dos EUA.

Destróier USS Porter da marinha dos EUA (DDG 78) durante uma visita planejada ao porto de Constança, Romênia, 13 de junho de 2016
Fragata norte-americana na Romênia © REUTERS/ US Navy/Mass Communication Specialist 3rd Class Robert S. Price/Handout

"É pouco provável que haja possibilidade de uma relação entre o aumento dos gastos militares da China e dos EUA. Na verdade, o aumento dos gastos da China em 7% foi aprovado ainda antes de Trump ter anunciado o aumento significativo do orçamento militar dos EUA", comunicou o analista e especialista em Estados Unidos da Universidade Fudan, Wang Xiaofeng, em entrevista à Sputnik China.

Segundo o analista, as suposições de que a China decidiu aumentar os gastos militares por causa do aumento nos EUA são falsas. Ele comunicou que o aumento do orçamento militar da China é parte do planejamento de longo prazo que também prevê a reforma militar.

"Não é o primeiro ano em que o aumento do orçamento militar é representado por um indicador de um dígito. Neste ano ele constituiu 7%, o que é ainda menos que no ano passado – 7,6%", afirmou Wang Xiaofeng, acrescentando que apesar de a verba atribuída ser quase igual à do ano passado, os investimentos atuais no domínio militar da China poderão ser aplicados mais racionalmente.

"Falando sobre as tensões no palco mundial vou acrescentar que, de acordo com a posição da China, esperamos pelo menos que não seja necessário aplicar a força militar para resolver os conflitos", frisou o analista chinês.

É preciso acrescentar também que os gastos da China se destinam a uma autodefesa eficiente, enquanto os EUA apostam muito no setor da defesa para cumprir seu objetivo estratégico que é obter a "vitória em todo o mundo".

Postar um comentário