Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

'Defender a fronteira é nosso direito', diz Assad sobre incidente com Israel

O presidente da Síria, Bashar Assad, ao comentar a declaração do ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, sobre a intenção de destruir os sistemas de defesa aérea da Síria em caso de ataques contra aviões israelenses, disse a jornalistas russos que a proteção das fronteiras da Síria é direito e o dever das autoridades do país.


Sputnik

"Proteger nossas fronteiras é nosso direito e dever. Se nós não vamos fazê-lo como um governo, o povo sírio terá de nos condenar", disse Assad, respondendo se a Síria iria continuar defendendo suas fronteiras, apesar das ameaças de Lieberman.


Fumaça sobe após ataque sírio na antiga cidade de Quneitra, perto da fronteira entre a Síria e as Colinas de Golã que são controladas por Israel
Ataque sírio próximo as Colinas de Golã, área controlada por Israel © AP Photo/ Ariel Schalit

"Portanto, independentemente das declarações das autoridades israelenses nós não devemos colocar esta questão [sobre defender ou não defender]. Não baseamos nossas políticas e decisões sobre suas declarações. Então, é claro, isso é nosso direito e dever, repito", disse o líder sírio.

Na semana passada, as forças israelenses realizaram ataques aéreos no território sírio, dizendo que tinham como alvo um comboio supostamente portador de armas para o movimento xiita Hezbollah. No mesmo dia, o comando do Exército sírio disse em um comunicado que havia derrubado um de quatro jatos da Força Aérea israelense que violaram seu espaço aéreo e supostamente alvejaram unidades sírias perto de Palmira.

Após o incidente, Moscou convocou o embaixador israelense na Rússia, Gary Koren, para perguntar sobre ataques aéreos contra tropas sírias perto de Palmira.



Postar um comentário