Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia não considera Patriot como alternativa ao S-400, diz parlamentar turco

Washington está negociando com Ancara quanto à possibilidade de fornecimento dos sistemas de defesa antiaérea norte-americanos Patriot no lugar dos S-400 russos, escreveu a revista turca Sabah, citando a assessora do Secretário de Estado dos EUA em questões políticas, Tina Kaidanow.
Sputnik

Kaidanow relevou que o Departamento do Estado está negociando com a Turquia para "tentar dar a entender aos turcos o que se pode fazer em relação aos Patriot".

"Estamos preocupados que a compra dos sistemas russos de defesa antiaérea seja uma espécie de apoio para a Rússia que, pelo que vimos, não se comporta bem em várias partes do mundo, inclusive na Europa", afirmou a assessora, citada pela edição turca.

Um representante do Ministério das Relações Exteriores turco, que pediu anonimato, comentou à Sputnik Turquia sobre a situação quanto às compras dos S-400 por Ancara, bem como quanto ao diálogo com os EUA.
"A nossa postura em relação aos S-400 foi reiterada por diversas vezes…

Em rara admissão, Israel assume responsabilidade por ataques na Síria

A agência estatal de notícias síria informou nesta quarta-feira (7) que Israel era responsável por bombardeios ocorridos perto de um aeroporto militar em Damasco.


Sputnik


Avigdor Lieberman, o ministro da Defesa de Israel, não estava disposto a especificar que ataques foram realizados pelas forças israelenses, de acordo com uma declaração oficial. No entanto, a nota afirma que os ataques tinham como objetivo impedir que "armas avançadas, equipamentos militares e armas de destruição em massa" caíssem nas mãos do Hezbollah, segundo informou o Times of Israel.

Avigdor Lieberman
Avigdor Lieberman © AP Photo/ Markus Schreiber

Autoridades israelenses já expressaram a preocupação de que o Hezbollah pudesse receber armas de destruição em massa ou armas químicas do regime sírio. Ainda assim, Lieberman espera que um acordo pacífico possa ser alcançado na vizinha Síria, embora acredite que a violência e as tensões com os palestinos ainda perdurem por bastante tempo.

Lieberman afirmou ainda que estaria aberto a qualquer acordo de paz na Síria, desde que não inclua o Irã ou o presidente sírio, Bashar Assad.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas