Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Embaixador de Israel vai explicar razões dos ataques aéreos em Palmira

O embaixador de Israel na Rússia, Gary Koren, foi chamado ao Ministério das Relações Exteriores russo devido aos ataques aéreos da Força Aérea israelense contra pontos do exército sírio perto de Palmira, informa o vice-ministro da chancelaria russa, Mikhail Bogdanov.


Sputnik

"Sim, já o perguntamos sobre isso", disse Bogdanov aos jornalistas. Segundo ele, a chancelaria russa expressou sua preocupação em relação ao incidente. 


Vista pela parte histórica de Palmira, Síria (foto de arquivo)
Palmira, Síria © Sputnik/ Mikhail Voskresensky

"Temos o canal de comunicação especial [para prevenir tais incidentes] e queríamos que esse canal funcionasse mais eficazmente e que não houvesse incompreensão em relação às ações de outros [na Síria]", sublinha o diplomata.

Mais cedo, o jornal Jerusalem Post informou sobre a chamada do embaixador israelense à chancelaria russa para explicar razões dos ataques da Força Aérea. Segundo a mídia israelense, as posições do exército sírio, atacadas pela aviação, estão localizadas perto dos militares russos.

O Ministério das Relações Exteriores de Israel confirmou o fato da visita do embaixador, Gary Koren, à chancelaria russa, mas não deu detalhe algum.

O incidente ocorreu em 17 de março à noite. Segundo dados das Forças Armadas da Síria, quatro aviões israelenses interviram o espaço aéreo do país e realizaram ataque aéreo contra um dos pontos do exército sírio. O comando da Síria declarou que um dos aviões foi abatido sobre as Colinas de Golã. Além disso, outro caça foi danificado. Entretanto, a parte israelense nega a informação sobre o avião abatido.


Postar um comentário