Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No decorrer da operação Ramo de Oliveira será criada zona de segurança na Síria

O primeiro-ministro turco Binali Yildirim anunciou a criação, durante a operação militar turca na província síria de Afrin, de uma faixa de segurança de 30 quilômetros.
Sputnik

O premiê, citado pela emissora Haberturk, adiantou também que a operação seria efetuada em quatro etapas.


"A operação vai decorrer em 4 etapas com o objetivo de criar uma faixa de segurança de 30 quilômetros, que será limpa de terroristas", disse o político, citado pela emissora NTV.

Yildirim adiantou que até agora não há mortos ou feridos entre o contingente turco que realiza a operação.

Mais cedo, o Estado-Maior da Turquia anunciou o início da operação "Ramo de Oliveira" contra os grupos curdos na província síria de Afrin, que começou precisamente às 14h00 locais (12h00 no horário de Brasília). De acordo com a entidade militar, a operação conta com a participação de 72 aviões, enquanto 108 dos 113 alvos planejados já foram eliminados. Há poucos dias, o premiê turco, Binali Yildirim, havia avanç…

Marinha chinesa aumenta capacidade para ultrapassar EUA no mar do Sul da China

A capacidade da Marinha dos EUA para abordar as preocupações de seus aliados e manter afastados os inimigos potenciais para o mar do Sul da China é uma "questão aberta", supõem analistas militares.


Sputnik


De acordo com especialistas, a grande acumulação de mísseis e navios de guerra da Marinha do Exército de Libertação Popular da China pode causar escaladas em relação ao domínio naval na região.

Navio chinês participa em exercícios militares navais com a Rússia
Navio chinês em exercício militar © AP Photo/ Xinhua, Wu Dengfeng, File

O presidente norte-americano Donald Trump propôs um aumento de 54 bilhões de dólares no orçamento militar do país. A China, por sua vez, aumentou significativamente seus gastos de defesa "quase a cada ano, durante as últimas duas décadas", escreve Pete Apps, colunista da Reuters.

A região do mar do Sul da China tem sido palco de diferentes atritos nos últimos meses. Imagens registradas recentemente das ilhas da região mostram a construção por parte da China de postos militares avançados que a inteligência americana considera capazes de abrigar mísseis terra-ar de longo alcance.

Além disso, pesquisadores chineses realizaram missões de perfuração em águas profundas, como parte de uma iniciativa para desenvolver a primeira plataforma de observação submarina do mundo.

A Marinha do Exército de Libertação Popular da China reuniu fontes de novos fundos para apoiar a projeção do poder naval chinês em todo o mundo, em grande parte motivada pela imprevisibilidade de Trump. O presidente norte-americano tem apoiado publicamente o Japão na disputa sobre as ilhas Senkaku / Diaoyu, no mar do Sul da China, falou por telefone com a principal líder de Taiwan e qualificou Pequim de "grande campeão" da desvalorização artificial da moeda.

De acordo com o Royal United Services Institute, um centro de pesquisa com sede no Reino Unido, a marinha da China planeja vir a ter "500 navios de guerra, incluindo porta-aviões, submarinos nucleares, navios anfíbios e fragatas".

Um porta-voz do "think tank" argumentou que, apesar de que "é difícil lembrar o crescimento a um ritmo semelhante em qualquer marinha de guerra ao longo da história, Pequim está lentamente avançando" nessa direção.

Postar um comentário