Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Por que Daesh explodiu Palácio de Justiça em Damasco?

O ministro da Justiça da Síria, Najm al Ahmad, declarou à Sputnik Árabe que a explosão do Palácio de Justiça em Damasco é uma tentativa dos terroristas de ocultar suas crimes no país. A razão é fácil: é ali onde ficam todos os documentos e evidências de crimes realizados pelo Daesh durante toda a guerra no país.


Sputnik


O homem-bomba do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia), que se explodiu perto da entrada, estava vestido com uniforme militar, passando despercebido pelas pessoas que estavam no local. Se tivesse conseguido entrar no edifício, as consequências da explosão teriam sido muito piores.

Segurança perto do Palácio de Justiça em Damasco, onde se explodiu homem-bomba do Daesh, 15 de março de 2017
Segurança próximo ao Palácio da Justiça, em Damasco, Síria © AFP 2017/ STRINGER / AFP

Segundo informações anteriores, a explosão resultou em 35 mortos e 45 feridos, além disso, o edifício foi fortemente danificado. Tais ações dos terroristas são de se esperar, pois eles assassinam, explodem e destroem, acrescentou al Ahmad à Sputnil Árabe.

O ministro acrescentou que o segundo terrorista, que não conseguiu se explodir, foi detido. Além disso, uma investigação será efetuada sobre a explosão e não há dúvidas de que o atentado esteja lidado às vitórias do exército sírio e avanços diplomáticos nas negociações em Astana e Genebra.

Postar um comentário