Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia não considera Patriot como alternativa ao S-400, diz parlamentar turco

Washington está negociando com Ancara quanto à possibilidade de fornecimento dos sistemas de defesa antiaérea norte-americanos Patriot no lugar dos S-400 russos, escreveu a revista turca Sabah, citando a assessora do Secretário de Estado dos EUA em questões políticas, Tina Kaidanow.
Sputnik

Kaidanow relevou que o Departamento do Estado está negociando com a Turquia para "tentar dar a entender aos turcos o que se pode fazer em relação aos Patriot".

"Estamos preocupados que a compra dos sistemas russos de defesa antiaérea seja uma espécie de apoio para a Rússia que, pelo que vimos, não se comporta bem em várias partes do mundo, inclusive na Europa", afirmou a assessora, citada pela edição turca.

Um representante do Ministério das Relações Exteriores turco, que pediu anonimato, comentou à Sputnik Turquia sobre a situação quanto às compras dos S-400 por Ancara, bem como quanto ao diálogo com os EUA.
"A nossa postura em relação aos S-400 foi reiterada por diversas vezes…

Rússia e China vetam resolução de sanções contra Síria na ONU

Rússia e China usaram seu poder de voto no Conselho de Segurança da ONU nesta terça-feira (28) para barra a resolução de sanções contra a Síria.


Sputnik

O Conselho de Segurança das Nações Unidas votou nesta terça-feira uma resolução de introdução de sanções contra a Síria. A Rússia e a China usaram o seu poder de veto para bloquear o projeto. 


Reunião do Conselho de Segurança da ONU
Reunião do Conselho de Segurança da ONU © REUTERS/ Mike Segar

O projeto de resolução foi proposto pelos Estados Unidos, Reino Unido e a França e visava introduzir sanções contra 11 individualidades sírias e 10 empresas ligadas alegadamente a ataques químicos durante toda a guerra, que se prolonga desde 2011.

As possíveis sanções também proibiriam o fornecimento e transporte de helicópteros e materiais relacionados, inclusive componentes, pelas Forças Armadas governamentais ou o próprio governo.

O embaixador adjunto da Rússia Vladimir Safronkov havia declarado anteriormente que Moscou usaria o veto contra o projeto de resolução porque a investigação foi "unilateral" e baseada em "provas insignificantes".

O governo sírio tem várias vezes negado o uso de armas químicas durante a guerra, que desde março de 2011 matou cerca de 310 mil pessoas.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas