Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Síria pede ao Conselho de Segurança que condene Israel por ataque a Palmira

O Ministério das Relações Exteriores da Síria enviou duas cartas ao Conselho de Segurança da ONU (CSNU) na sexta-feira, pedindo para condenar Israel pelo ataque à cidade síria de Palmira e violações do espaço aéreo sírio.


Sputnik

Mais cedo nesta sexta-feira, o exército do governo sírio disse que havia derrubado um dos quatro jatos da Força Aérea Israelense que supostamente violavam seu espaço aéreo e alvejava unidades sírias perto de Palmira. As Forças de Defesa de Israel (IDF) disseram a Sputnik que seu avião não foi derrubado. 


Israeli F-16
F-16 da Força Aérea de Israel © AP Photo/ Ariel Schalit, file

"A Síria pede ao Secretário-Geral da ONU e ao Presidente do Conselho de Segurança da ONU que condenem esta agressão flagrante israelense e obrigue Israel a parar de apoiar o terrorismo na Síria e a aplicar todas as resoluções do CSNU sobre a luta contra o terrorismo, o Golã sírio ocupado até a linha de 4 de junho de 1967 e para implementar a resolução No. 497 para 1981", disse o ministério sírio das Relações Exteriores, citado pela agência de notícias Sana.


As alegações de que seus jatos foram atacados são usadas por Jerusalém para justificar a ocupação dos territórios sírio, palestino e libanês, disse o ministério sírio.

Em dezembro, a Síria teria derrubado um avião de guerra israelense e um veículo aéreo não tripulado sobre a província de Quneitra, no sudoeste do país. 

As IDF negaram as reivindicações. Em novembro, as IDF disseram que um míssil que se acredita ser lançado da Síria, atingiu as colinas do Golã do norte controladas pelos israelenses sem causar quaisquer baixas. A medida foi retaliada abrindo fogo.

Postar um comentário