Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Taiwan denuncia maior ameaça militar da China

O desenvolvimento militar acelerado da China e a recente atividade de aviões e navios militares chineses em torno de Taiwan representam uma ameaça maior para a ilha autogovernada, de acordo com um relatório do governo taiwanês visto pela Reuters.


Sputnik

O documento, que deve ser apresentado ao parlamento na quinta-feira (16), também destaca a incerteza sobre a direção estratégica futura dos Estados Unidos na região, o impacto do Japão flexionando suas potencialidades militares e o potencial de conflito no disputado Mar do Sul da China.

Navios militares de Taiwan
Navios militares de Taiwan © AP Photo/ Wally Santana

"A recente atividade de jatos e navios chineses em torno de Taiwan mostra o aumento contínuo das capacidades de ameaça militar (da China)", destacando a importância da necessidade de Taiwan se defender, segundo afirma o texto.

A China, que não reconhece a independência de Taiwan, tem intensificado seus exercícios militares aéreos e marítimos nas águas ao redor da ilha como parte de um amplo processo de modernização de suas forças armadas.


Postar um comentário