Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares dos EUA prometem responder a possível ataque turco contra cidade síria de Manbij

Os militares norte-americanos prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade síria de Manbij à luz de uma possível operação turca na área, afirmou o comandante do Conselho Militar de Manbij, que faz parte das Forças Democráticas da Síria (FDS), Ebu Adil.
Sputnik

Em entrevista à Sputnik Turquia, Ebu Adil comentou a resposta dos EUA às preocupações expressas pelos representantes do Conselho Militar de Manbij devido a um possível ataque contra a cidade síria por parte de Ancara.


"Há dois anos, em conjunto com as forças da coalizão liderada pelos EUA, nós limpamos Manbij do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países]. Desde então, na cidade se encontram forças da coalizão. Algum tempo atrás, nós falamos com os militares norte-americanos sobre um possível ataque da Turquia contra Manbij. Os militares dos EUA prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade, de onde quer que ele provenha", afirmou o comandante do conselho.

Além disso, ele …

Virando as costas: parceiros dos EUA preferem armamentos russos

Muitas nações, que antes importavam equipamentos militares dos EUA, passam, gradualmente, a comprá-los da Rússia, informa Fox News.


Sputnik

As negociações sobre fornecimento do caça polivalente russo Su-35 para os aliados, evidenciam a preferência dos parceiros dos EUA por produtos militares da Rússia.


Resultado de imagem para sukhoi su-35
Sukhoi Su-35

As negociações para o fornecimento do caça polivalente russo Su-35 aos Emirados Árabes Unidos se iniciaram em fevereiro. Andrew O'Reilly, autor do artigo, lembrou que, anteriormente, as Forças Armadas dos Emirados utilizavam equipamentos militares norte-americanos, como as aeronaves F-15 e F-16.

Além dos Emirados, Indonésia também negocia com a Rússia a compra de dez veículos militares polivalentes de quarta geração e superiores. Anteriormente, as Forças Armadas da Indonésia também contavam com aviões de fabricação norte-americana.

"Um dos principais objetivos da Rússia é se reafirmar como grande potência mundial", considerou Hannah Thoburn, pesquisadora do think tank Hudson Institute, à edição.

De acordo com O'Reilly, essas negociações (e outras semelhantes a elas) destacam o uso da indústria militar russa como uma ferramenta diplomática no cenário mundial. A estratégia do presidente russo Vladimir Putin, afirma o autor, consiste em "se conciliar com os países que possuem laços antigos com os Estados Unidos".


Postar um comentário