Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pequim acha que exercícios dos EUA e da Coreia do Sul escalam situação na região

Os exercícios conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul não contribuem para a desescalação na península coreana, acrescentou na segunda (21) a representante oficial Hua Chunying.
Sputnik

Os exercícios conjuntos Ulchi Freedom Guardian (UFG) se iniciaram na Coreia do Sul na segunda-feira. 


"Os exercícios conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul não contribuem para a desescalação da situação na península coreana, bem como para os esforços das partes no sentido de realizar negociações", comunicou Hua Chunying durante o briefing.

Ela chamou os EUA, a Coreia do Sul e os outros países a darem passos construtivos que contribuam para o reinício das negociações e para a regularização racional do problema nuclear da península Coreana.

Cerca de 50 mil militares sul-coreanos e 17 mil norte-americanos participam dos exercícios.

Anteriormente havia sido comunicado que os EUA e a Coreia do Sul acordaram influenciar Pyongyang com o deslocamento de armas estratégicas norte-americanas – submarinos nuclear…

Daesh atacou exército sírio simultaneamente com raide norte-americano

Terroristas do Daesh atacaram as posições do exército sírio na estrada Homs-Palmira simultaneamente com o bombardeio norte-americano da base de Shayrat, a leste de Homs, disse uma fonte no local à Sputnik.


Sputnik


"Será uma coincidência o fato de os terroristas do Daesh terem atacado uma das posições defensivas da estrada Homs-Palmira simultaneamente com o raide dos EUA contra a base de Shayrat?", pergunta a fonte.

Militantes do grupo terrorista Daesh
Terroristas do Estado Islâmico em comemoração © AP Photo/ Karim Kadim

Segundo ele, os terroristas atacaram as posições do exército por volta das 2h00 da madrugada (horário local) e mantiveram o controle do local por mais de uma hora, até chegarem reforços.

Atualmente, o exército está expulsando os terroristas da estrada para a zona do deserto.

Os Estados Unidos lançaram pelo menos 59 mísseis de cruzeiro na noite desta quinta-feira (6) em um aeródromo sírio próximo à cidade de Homs. O ataque seria uma resposta de Trump às denúncias de uso de armas químicas proibidas pelo governo sírio, responsável pela morte de 100 pessoas na terça-feira.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas