Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Daesh atacou exército sírio simultaneamente com raide norte-americano

Terroristas do Daesh atacaram as posições do exército sírio na estrada Homs-Palmira simultaneamente com o bombardeio norte-americano da base de Shayrat, a leste de Homs, disse uma fonte no local à Sputnik.


Sputnik


"Será uma coincidência o fato de os terroristas do Daesh terem atacado uma das posições defensivas da estrada Homs-Palmira simultaneamente com o raide dos EUA contra a base de Shayrat?", pergunta a fonte.

Militantes do grupo terrorista Daesh
Terroristas do Estado Islâmico em comemoração © AP Photo/ Karim Kadim

Segundo ele, os terroristas atacaram as posições do exército por volta das 2h00 da madrugada (horário local) e mantiveram o controle do local por mais de uma hora, até chegarem reforços.

Atualmente, o exército está expulsando os terroristas da estrada para a zona do deserto.

Os Estados Unidos lançaram pelo menos 59 mísseis de cruzeiro na noite desta quinta-feira (6) em um aeródromo sírio próximo à cidade de Homs. O ataque seria uma resposta de Trump às denúncias de uso de armas químicas proibidas pelo governo sírio, responsável pela morte de 100 pessoas na terça-feira.


Postar um comentário