Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Moscou revela fotos de material bélico dos EUA nas posições do Daesh

O Ministério da Defesa da Rússia publicou na sua conta no Facebook fotos aéreas de posições do Daesh (organização proibida na Rússia), perto da cidade de Deir ez-Zor, nas quais se vê material bélico dos EUA.
Sputnik

"Graças às fotografias aéreas captadas entre 8 e 12 de setembro de 2017, perto das posições do Daesh foi detectado um grande número de veículos blindados norte-americanos Hummer que estão em serviço das forças especiais dos EUA", informou o ministério.


Segundo o ministério, nas fotos é claramente visível o posicionamento das forças especiais dos EUA em pontos de apoio que anteriormente foram equipados pelos terroristas. Nas fotos não há nenhuns vestígios de ataques, bem como de confrontos com os terroristas ou crateras provocadas por ataques aéreos realizados pela coalizão internacional liderada pelos EUA.

"Embora os pontos de apoio dos destacamentos das Forças Armadas dos EUA estejam nas zonas das atuais posições do Daesh, não existem quaisquer vestígios de pre…

Estado-maior sírio: 6 pessoas foram mortas em resultado do bombardeio dos EUA

Ataque dos EUA resultou em mortos e feridos, causando enormes danos materiais, informa o Estado-Maior da Síria.


Sputnik

"Foi levada a cabo uma agressão contra uma das nossas bases militares. O ataque de mísseis provocou a morte de seis pessoas, outras foram feridas, foi causado um dano material significativo", diz a declaração do Estado-Maior das Forças Armadas da Síria.


Esta foto de satélite mostra a base aérea de Shayrat, na província síria de Homs, em fevereiro de 2017
Base Aérea Shayrat, em Homs, Síria, antes do bombardeio dos EUA © AP Photo/ Digital Globe/Departamento da dEfesa dos EUA/Handout via Reuters

"Esta agressão dos EUA aponta para a continuação da estratégia errada dos EUA, que paralisa os esforços na luta contra o terrorismo, torna os EUA aliados do Daesh e da Frente al-Nusra (grupos terroristas proibidos na Rússia), que desde o primeiro dia da guerra contra a Síria têm realizado ataques contra postos do exército e bases militares", adianta o documento.

Os Estados Unidos lançaram pelo menos 59 mísseis de cruzeiro na noite desta quinta-feira em um aeródromo sírio próximo à cidade de Homs. O ataque seria uma resposta de Trump às denúncias de uso de armas químicas proibidas pelo governo sírio, responsável pela morte de 100 pessoas na terça-feira.



Postar um comentário