Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Rússia: EUA provocaram combates em Idlib para impedir o avanço sírio em Deir ez-Zor

Os militantes da Frente al-Nusta iniciaram uma ampla ofensiva contra as posições das tropas sírias ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib, informou o ministério da Defesa da Rússia nesta quarta-feira.
Sputnik

Segundo o ministério russo, a ofensiva terrorista foi uma manobra dos serviços de inteligência dos EUA para impedir o avanço das tropas sírias em Deir ez-Zor.


Os militantes da Frente al-Nusta iniciaram uma ampla ofensiva contra as posições das tropas sírias ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib.

"Apesar dos acordos assinados no dia 15 de setembro em Astana, os combatentes da Frente al-Nusra e seus aliados, que se negaram a cumprir as condições do regime de cessar-fogo, iniciaram uma ampla ofensiva contra as tropas governamentais, a partir das 8hs da manhã do dia 19 de setembro, ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib", informa o comunicado.

Durante o dia, os terroristas conseguira…

Estados Unidos lançam 59 mísseis de cruzeiro contra base aérea na Síria

Os Estados Unidos lançaram pelo menos 59 mísseis de cruzeiro na noite desta quinta-feira em um aeródromo sírio próximo à cidade de Homs. O ataque seria uma resposta de Trump às denúncias de uso de armas químicas proibidas pelo governo sírio, responsável pela morte de 100 pessoas na terça-feira.


Sputnik


Segundo a rede de televisão norte-americana NBC citando fontes oficiais, dois navios de guerra dos EUA no Mar Mediterrâneo dispararam por mísseis Tomahawk tendo como alvo a base de Shayrat, na província de Homs, oeste da Síria.

O USS Destroyer (DDG 78), comandante de mísseis guiados da Marinha dos EUA, conduz operações de ataque enquanto no Mar Mediterrâneo, que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos disse que era parte do ataque com mísseis de cruzeiro contra a Síria
Lançamento de um Tomahawk de destróier da US NAVY © REUTERS/ Ford Williams/Courtesy U.S. Navy

Os EUA acreditam que foi deste aeródromo que o governo do presidente sírio, Bashar Assad, disparou as armas proibidas.

Ainda não há informações sobre vítimas. Funcionários dos EUA disseram à NBC que aeronaves e a infraestrutura no local, incluindo a pista, foram atingidas, mas que nenhuma pessoa foi alvejada.

Mais cedo, o secretário de Estado americano, Rex Tillerson e a embaixadora do país nas Nações Unidas, Nikki Haley, acusaram o governo da Síria do ataque com armas químicas, cujas vítimas incluíram pelo menos 25 crianças.

Ao comentar o ataque em Idlib, Trump disse a jornalistas que o que aconteceu na Síria foi "uma desgraça para a humanidade". Ele também fez uma clara ameaça ao presidente Bashar Assad. "Ele está lá e eu acho que no comando das coisas, portanto algo deve acontecer".

Postar um comentário