Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pequim acha que exercícios dos EUA e da Coreia do Sul escalam situação na região

Os exercícios conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul não contribuem para a desescalação na península coreana, acrescentou na segunda (21) a representante oficial Hua Chunying.
Sputnik

Os exercícios conjuntos Ulchi Freedom Guardian (UFG) se iniciaram na Coreia do Sul na segunda-feira. 


"Os exercícios conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul não contribuem para a desescalação da situação na península coreana, bem como para os esforços das partes no sentido de realizar negociações", comunicou Hua Chunying durante o briefing.

Ela chamou os EUA, a Coreia do Sul e os outros países a darem passos construtivos que contribuam para o reinício das negociações e para a regularização racional do problema nuclear da península Coreana.

Cerca de 50 mil militares sul-coreanos e 17 mil norte-americanos participam dos exercícios.

Anteriormente havia sido comunicado que os EUA e a Coreia do Sul acordaram influenciar Pyongyang com o deslocamento de armas estratégicas norte-americanas – submarinos nuclear…

EUA temem mais ataque cibernético de Pyongyang do que de seus mísseis

John Kelly, secretário de Segurança Nacional, declarou que para os Estados Unidos um ciberataque norte-coreano representa uma maior ameaça de que seus mísseis.


Sputnik

"No caso da Coreia do Norte, sabem, eu não acho que seja possível realizarem um ataque com mísseis contra os EUA. Mas, claro que existe uma ameaça no espaço cibernético", disse o secretário de Segurança Nacional citado pela NBC. 

Resultado de imagem para john kelly
John Kelly, Secretário de Segurança Nacional dos EUA

Ele acrescentou também que, na sequência de últimos acontecimentos, estão sendo considerados vários níveis de ameaça: "Nós iremos estabelecer vários níveis de ameaça, para o caso de acontecer alguma coisa, e nós sentimos que existe uma possível ameaça. Queremos estar sempre precavidos."

Mais cedo, o vice-marechal do Exército Popular da Coreia, Choe Ryong-hae, declarou que o seu país está preparado para um conflito nuclear e para uma guerra total com os EUA.

Anteriormente, o canal NBC, citando uma fonte, havia informado que EUA podem levar a cabo um ataque preventivo contra a Coreia do Norte para impedir a realização de mais um teste nuclear de Pyongyang.

Os EUA enviaram recentemente para a península da Coreia um grupo aeronaval de ataque encabeçado pelo porta-aviões USS Carl Vinson. A Coreia do Norte, tal como em muitas outras ocasiões, ameaçou Washington com um ataque nuclear.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas