Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha e Aeronáutica do Brasil auxiliam buscas a submarino argentino desaparecido, diz ministro

Segundo Raul Jungmann, três navios e um avião brasileiros já foram disponibilizados. Última vez que o submarino militar com 44 pessoas a bordo manteve contato com a base foi na quarta-feira (15).
Por G1, Brasília

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou em seu perfil no Twitter neste sábado (18) que três navios da Marinha brasileira "já estão auxiliando" nas buscas a um submarino argentino que desapareceu com 44 tripulantes a bordo.

Ainda segundo o ministro, a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para também ajudar na procura pelo submarino e um segundo avião "será deslocado para apoiar as buscas do submarino argentino desaparecido" a partir deste domingo (19).

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

De acordo com a FAB, o primeiro avião disponibilizado pelo Brasil decolou, com 18 tripulantes, às 17…

Ex-Secretário de Defesa dos EUA: ataque preventivo à Coreia do Norte resultará em guerra atômica

Um ataque preventivo dos EUA contra a Coreia do Norte, cuja possibilidade foi noticiada pela imprensa, pode resultar em uma guerra atômica, disse o ex-Secretário de Defesa dos Estados Unidos, Leon Panetta.


Sputnik


"Há uma explicação para o fato dos presidentes dos EUA, no passado, não terem 'apertado o gatilho' contra a Coreia do Norte. Mais de 20 milhões de pessoas em Seul se tornarão alvo de um ataque. Existe a possibilidade de uma guerra atômica, que poder custar a vida de milhões de pessoas. Por isso eu penso que devemos ser mais cuidadosos", disse Panetta à emissora NBC.

Leon Panetta
Leon Panetta © AP Photo/ Susan Walsh

Segundo Panetta, que chefiou o Pentágono durante a administração de Barack Obama, "as declarações da administração [de Trump] criam uma tensão ainda maior, considerando as provocações já existentes". Ele disse que os EUA "devem tomar cuidado" e "não devem fazer movimentos bruscos".

Panetta avisou que a possibilidade de ações "preventivas" contra Pyongyang é "perigosa", pois provocará uma resposta, cujo alvo pode ser a capital da Coreia do Sul.

"Recentemente demos uma chance à China de participar desse processo. Vamos ver o que eles podem fazer", disse o ex-Secretário de Defesa.

Postar um comentário