Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Irã aconselha os EUA a abandonar o Golfo Pérsico

O ministro da Defesa do Irã, Hossein Dehghan aconselha os EUA a abandonar o Golfo Pérsico e não importunar os países da região, informa a agência Mehr.


Sputnik

"O que os norte-americanos estão fazendo no Golfo Pérsico? Deverão abandonar essa área para não causarem incômodos aos países da região", cita a Mehr as palavras do ministro. 


Porta-aviões USS Dwight D. Eisenhower (CVN-69)  dos EUA no Gólfo Pérsico
Porta-aviões USS Dwight D. Eisenhower (CVN-69) no Golfo Pérsico © AP Photo/ Petr David Josek

"Será aceitável que um ladrão armado entre na casa de alguém esperando um tapete vermelho? É um dos absurdos da época contemporânea", acrescentou.

As relações entre os EUA e o Irã mudaram completamente após a tomada de posse de Donald Trump. O presidente norte-americano declarou, nomeadamente, que não será tão amável em relação ao país do Oriente Médio como foi seu antecessor — Barack Obama. O novo chefe da Casa Branca tem uma atitude cética perante o acordo nuclear com Teerã, que foi atingido pelos cinco membros permanentes do Conselho da Segurança da ONU e Alemanha em 2015. Conforme o documento, o Conselho da Segurança da ONU levantará as sanções econômicas e financeiras impostas ao Irã em troca da aceitação do caráter pacífico do programa nuclear do país.


Postar um comentário